MARCAS CIDADÃS: ANTECIPANDO AS EXPECTATIVAS DO CONSUMIDOR

No passado dia 26 de Maio, juntámo-nos para debater um tema que toca inevitavelmente as consciência de todos: a cidadania de marcas e, por inerência, dos seus decisores.

Enquanto muitas empresas se esgotam em informação técnica sobre a sua actuação no campo da responsabilidade social, apresentado ao mercado longos relatórios que pouco dizem ao consumidor comum, outras produzem novas ofertas, referências e linguagens altamente disruptivas.

Estes movimentos não desafiam apenas as concepções pré-existentes quanto ao modo de ser empresa e de fazer negócios, como são driver de novas consciências e, assim, indutores de novos comportamentos. De alguma forma, todos os consumidores procuram a sua ‘quota de sustentabilidade’, compatibilizando comportamentos eventualmente contraditórios no plano racional da Sustentabilidade mas que, vistos num processo de afirmação e construção identitária composta por uma infinidade de peças, resultam numa agregação que valoriza a (auto) narrativa.

Os consumidores, principalmente os mais jovens, parecem reclamar para as marcas aquilo que chamam a si, assim como outras marcas que já nasceram neste novo quadro de valores: não hesitem em extremar a afirmação de posições e a escolha destemida de causas.

Este foi o repto que deixámos neste dia 26 de Maio.

Na comunidade C-Lab, ‘marcas-cidadãs’ são precisamente as que olham o seu poder social (e não o seu dever social) como driver de crescimento.São as que sabem ser possível aumentar a competitividade de uma empresa e, em simultâneo, promover o avanço das condições económicas e sociais nas comunidades em que actuam.

C-LAB

Somos um laboratório especializado no conhecimento e análise de comportamentos de mudança do consumidor.