10 anos de C-Lab na Gulbenkian

O C-Lab celebra 10 anos e leva uma vida cheia. São inúmeras as ideias que se debateram, as palavras que se fixaram como nossas, os consumidores comuns cujas histórias ficaram gravadas na nossa memória, os clientes que entusiasticamente nos leram, ouviram, opinaram, as interpretações do país e do mundo.

O ‘EU PROFISSIONAL’ QUESTIONADO

O C-Lab subiu no dia 13 de Setembro ao Palco da Gulbenkian para a apresentação da 8ª edição das Tendências de Mudança do Consumidor em Portugal. Com esta investigação surge a crença de que se inaugura um novo ciclo no que toca ao consumidor português. Ainda que a bricolage identitária se mantenha válida, diagnosticamos movimentos que extravasam o micro e passam a apontar para decisões de vida de outra magnitude. A grande força de mudança que está a despoletar essas decisões de vida parece ser a insatisfação com o ‘eu profissional’, com empregos e ambientes de trabalho que não acompanharam a evolução rápida de outras esferas da vida, que não trouxeram novidade, ou pior, não são manipuláveis, trazem sensação de aprisionamento, inibem a expressão pessoal. Esta investigação fala de pessoas que parece terem crescido mais do que as organizações. Depois da apresentação das 7 tendências, a sessão foi animada por um painel de convidados que contribuíram para a reflexão que ali se teve: o Paulo Soeiro de Carvalho, Director de Economia e Inovação da Câmara Municipal de Lisboa, o Rudolf Gruner, Director Geral do Observador e o Joaquim Falcão de Lima, Director de Marketing Estratégico da Brisa. As 7 tendências C 2017:

  • 2nd Places Idealizados
  • Casa 24x7: recriação de vida e de valor
  • Comércio de Emoções
  • Os Novos Pacotes, uma forma de curadoria
  • [RE]Focar
  • A Cultura dos Jogos
  • Futuros Imaginados: expectativa das marcas que o antecipam