2012

O CONSUMIDOR NA CRISE – UMA AJUDA À NAVEGAÇÃO

À entrada de 2012, com a definitiva revelação da gravidade da situação macro-económica portuguesa e, de forma mais abrangente, Europeia, o fenómeno da Crise vivida pelas famílias portuguesas, que o C-Lab tinha vindo a analisar desde 2010, ganhava uma nova expressão.
Perante a certeza de estarmos perante comportamentos de profunda mudança, a investigação, além de uma visão macro da crise que estávamos a viver, dedicou-se à compreensão do processo de ajustamento dos portugueses e à definição daquilo que se chamou uma nova pirâmide de prioridades. Abordámos temas como a tipificação de comportamentos, o zoom aos segmentos mais impactados, as diferenças de género evidentes na vivência da crise, as compensações, a reconfiguração da importância da poupança, etc.

 

COMUNICAR COM OS CONSUMIDORES DE HOJE – PISTAS PARA A COMPREENSÃO DE NOVOS PARADIGMAS

O passado recente definiu novos desafios e oportunidades para a disciplina da comunicação associados à multiplicação dos media e dos canais, ao crescimento do digital e à consolidação do conceito de consumidor produtor, um consumidor progressivamente empowered e envolvido.

A acrescer a este cenário, confrontávamo-nos, do lado da “oferta” de comunicação, com uma quebra abrupta do investimento publicitário, do lado da “procura”, um consumidor que, à luz de uma necessidade premente de ajustamento económico, está mais atento e encontra novas utilidades na comunicação.

Perante este contexto complexo, a investigação realizada trouxe novos insights sobre a relação dos consumidores hoje com as marcas e as diferentes categorias, as novas utilidades (micro multifacetadas, como as definimos) que procuram, a nova usabilidade que dão a diferentes formatos de comunicação e promoção, etc.

 

 

Ver Investigações 2011